quinta-feira, 17 de março de 2011

Minha avó! Feliz aniversário!!! (Diário da Mirys)


Hoje uma das minhas avós (ainda tenho as 2! E mais uma do Fer! Yuhuuuu!) faz aniversário. 90 anos! Isso mesmo.

NO-VEN-TI-NHA!!!

Imagina ter nascido em 1921... ter visto uma das grandes guerras (de camarote, mas viu), visto Getulio entrar e sair do poder, visto os Beatles e os Rolling Stones novinhos, ver a Jovem Guarda e achar que eles eram jovens, mesmo! Deve ter sido sensacional! E, se vocês conhecessem a minha vó MLMS (ela sempre assinou assim), iam ver que eu não estou exagerando. Ela deve ter curtido muuuito todas essas coisas. Ela era super modernex!

Totalmente desapegada de coisas materiais, ela emprestava todas suas camisolas de seda e seus vestidos, para virarem lindas roupas de reis e rainhas, nas peças de final de ano ou páscoa (ou qualquer outra reunião familiar onde os netos se juntassem com suas "brilhantes" ideias). Diz a lenda que eu (euzinha! sniff...) estraguei o vestido de noiva dela numa dessas brincadeiras. Eu não me lembro... tomara que não... Fato é que o tal vestido não existe mais!

Ela ficou viúva super cedo (olha quem fala!!!), aos 50 anos, quando meu avô faleceu com câncer. Tocou o barco sozinha, terminou de criar os 4 filhos (homens todos. ôh dó!), viajou horrores, entrou na faculdade da terceira idade, abriu conta na revistaria perto da casa dela e tinha absolutamente todas as revistas semanais!

Quando eu fui fazer faculdade, fui pra cidade dela. E morava com ela. POrque eu fazia uma faculdade de manhã e outra à noite (e mais dois cursos de línguas, às 2as, 3as, 4as e 5as feiras). Como não dava pra ficar indo e voltando para a minha cidade, eu morava com ela (há 60 km de distância dos meus pais). Isso foi uma das melhores coisas que aconteceu para mim e para todos os meus amigos (amigos! Manifestem-se!!! Eu pretendo ler isso para ela, um dia!).

Como a cidade era universitária, tinha muitas repúblicas. E onde tem república, tem bagunça. Onde tem bagunça, tem problema. Onde tem problema, tem polícia. Menos na "república da vó da Mirys" (era assim que os meus amigos chamavam a nossa casa)!!!
Lá nunca ia polícia nenhuma porque todo mundo conhecia minha vó desde pequenininho, tinha sido aluno dela, etc e tal. (e também porque a minha galera maneirava, né? Mas, vou deixar vocês pensando que era só por causa da minha super avó, mesmo).

Então, era assim: "-Mirys, vai vir algum amigo seu aqui em casa, hoje?" "-Vai sim, vózinha." "-Então... vou torrar uns amendoins!". E lá ia ela para o fogão. Ela adorava receber gente em casa (para quem eu puxei??????????!!!!!!!!!!!) e sempre esperava meus amigos com comidinhas simples, mas deliciosas. Dizia que não se importava se a gente bebesse (aos 17 anos, isso é o máximo da infração e a gente se sentia o máximo), contanto que a gente comesse e que a gente ficasse por ali, na casa dela! O povo entrava na dela. E todo mundo adorava!!!

Ela tinha um opala (que tinha sido do meu avô, acho, uns 20 anos antes) e levava a galera da faculdade pra todo lado (pobre e sem carteira de habilitação! Ôh vida!). Vivia com o rádio ligado e minhas amigas eram apaixonadas por ela!!!

Meus amigos, ela chamava todos de "Rodrigo". Tudo bem que eu tinha uns 3 rodrigos na turma. Mas, depois de tentar acertar os nomes, umas vezes, ela desistiu e todo mundo virou "Rodrigo".
"- Mirys, enquanto você estava na faculdade, o seu amigo veio aqui e disse para você ligar pra ele." "- Qual amigo, vó?" "- Aquele simpático... o Rodrigo!". Putz!!! E eu saia ligando para todo mundo que achava que pudesse ter passado em casa. Ri-di-cu-lo, mas totalmente adorável.

O único amigo que não era "Rodrigo" era o Fer. Não sei bem o motivo. Talvez por ele ter sido o primeiro amigO que eu fiz na faculdade. Talvez porque ela soubesse ver o futuro. TAlvez... Eles tinham um caso de amor, ela e o Fer, bem antes de eu descobrir que meu amigo poderia virar meu namorado. Ela adorava o jeito dele falar "Dona Maria". E ele adorava tudo nela! Mas eu sempre fui a lentinha da família e fiquei só amiga dele (smack, smack nos dedinhos! Juro!) durante quase toda a faculdade!!! Noutra hora eu conto essa história...

Voltando à minha vó, quando eu contei pra ela que o Fer tinha me pedido em namoro (sem nem um beijinho antes! smack, smack, de novo) e que eu estava pensando em aceitar, ela saiu dançando (mesmo!!!) comigo pela cozinha da casa dos meus pais! Ela gostava mesmo dele!!! Até nos presenteou, no nosso 1o aniversário de namoro, com dois ingressos para o show da Marisa MOnte! Meu primeiro show! Foi fantástico!

3 meses após eu me casar com o Fer, minha avó sofreu 2 AVCs. Teve um. Correram com ela para o hospital. Passou. Voltou pra casa. Teve outro. Todo mundo dizia que ela não iria aguentar, mas a bichinha é danada e está aí, para a felicidade geral da nação, há 12 anos (pós AVC). E ativa! Fez questão de fazer as lembrancinhas de todos os aniversários dos meus 2 pequenos, até cair um tombão, no ano passado, e ficar de cama por meses.

É bem verdade que ela não faz mais a faculdade da 3a idade. Ainda pinta e borda (figurativa e literalmente), mas é com bastante dificuldade. Não dirige mais. Tem todo o lado esquerdo do seu corpo praticamente paralisado. Mas não abre mão de sentar na varanda da casa onde ela mora há uns 50 anos, de falar bom-dia / boa-tarde / boa-noite para todo mundo que passa, de ajudar aos pedintes e lhes contar uma boa história motivacional, de sair pra passear quando consegue (e quando os outros levam).

Ela foi no último casamento da nossa família (minha irmã, há duas semanas). Aguentou sem reclamar 1 hora de viagem de carro (ela mal consegue ficar sentada por meia hora). Estava na cadeira de rodas e assim ficou durante toda a cerimônia. No final, quando estavam nos cumprimentos, meu pai foi buscá-la (e minha mãe buscou a minha outra avozinha) para beijarem os noivos. E ela foi feliz da vida!!! Impressionante a garra e a alegria eternas dessa mulher!!!

Infelizmente, tem alguns planos que eu fiz com ela, enquanto ainda morava por lá, que eu não vou conseguir cumprir. Eu ia mostrar a Europa pra ela (onde ela nunca foi) e ela ia me mostrar Nova York (onde eu nunca fui). Mas, sempre que eu arrumo 5 segundos na agenda eu corro pra casa dela ou dou uma ligadinha, que é pra lembrá-la que eu a amo muito. Com NY ou sem NY. Não importa.

Não me importa que ela já esteja bem velhinha, que eu tenha que falar gritado, que ela se esqueça no minuto seguinte aquilo que eu acabei de falar. Não tem problema. Eu falo de novo. Eu te amo, vó!

Se precisar eu grito!
EU TE AMO, VÓ!!! MUITO, MUITO, MUITO!!!
FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

sua neta - Mirys

19 comentários:

Nana disse...

Tá aí uma coisa q não tive, mas com ctza meus filhos terão...avós presente! Infelizmente, minha familia nunca foi um exemplo de união, então eu quase não tenho esse tipo de lembrança pra contar... mas minha mãe já faz planos para os netinhos...rsrsrs....imagina o que virá por aí!
Ah, dá parabéns pra sua vózinha querida por mim... pelas suas histórias e as que já ouvi da Tina, ela deve ser uma figurinha adorável mesmo!
Post novo na área...bjs e fik c Deus.

Camila disse...

Mirys, amei a lembrança, a forma como contou, e assim pude lembrar também alguns poucos momentos em que presenciei a disposição dela em acolher seus amigos em casa (haja disposição!).
E, claro, me emocionei, já que os meus avós já se foram, e ainda morro de saudade deles...
Bjo, saudade,
Camila

Anônimo disse...

AMO poder testemunhar grande parte do que está nesse blog... e a minha querida "Vó Lourdes" é um dos temas dos quais mais posso falar...
São engraçadas as contingências dessa vida... parece que há algo cíclico, que faz com que TUDO acabe caindo no mesmo lugar, de alguma maneira... Meus avós, em meados dos anos 30, eram vizinhos de um dos seus avós... foram embora para Piracicaba, onde nasceu meu pai, em 1945... não sei a troco do quê, no início dos 50, voltaram para Bauru... e Vó Lourdes foi a primeira professora do meu pai... e deu a ele seu primeiro livro de história... vieram todos embora prá Santos... não sei porquê, de novo, meu pai acabou virando amigo de um de seus tios... mudança de cidade novamente... nesse meio tempo, vim eu, no começo dos setenta... e, em 1988 fui embora prá Bauru, morar com minha querida Tia Ita... (ai, lá vem a saudade querer fagocitar minha alma)... bom... em 1992 entro na Faculdade de Direito de Bauru... e também na UNESP! que méximo... quem é minha primeira-querida-eterna amiga nas duas faculdades? Miriane Segalla... já uma terceira geração de união das famílias (esqueci de citar que Vó Lourdes ia todo dia prá Agudos com a Tia Ita... que as duas eram muito próximas... eu tenho fotos disso! posso enviar! o encontro dos 50 anos de formada delas no internato de lá! e, pasmem... depois de todo esse tempo, eu era uma habitué da varanda da "vó"... perdi a conta das calorias ingeridas com pães de queijo... as hoooooooooooras de "causos" deliciosamente ouvidos... quanto baralho nós jogamos? quantas cordas de violão gastamos noite adentro? Ah, Miriane do céu... sem dúvida você, ou alguém ligado a você, ou alguém que você ligou a mim, estão nas minhas melhores lembranças de dias felizes... imagine... vc falou do show da Marisa Monte... sabe onde foi um dos pontos de venda? Minha casa, na Guilherme de Almeida... e quem era a bilheteira? Tia Ita... kkkkkkkkkk... ah... essas super velhinhas... que bom que a sua (minha "Vó Loudes") ainda está contigo... a cubra de beijos por mim, e diga que a amo... que fiquei felicíssima em ligar para ela, quando estive da última vez em Bauru, e a ouvir reconhecer minha voz, e me chamar de Senhora Isabell Mainardi... affe...
parei por agora... preciso chorar um bocadinho...
amo você... por isso... por tudo!
Beijos e bênçãos!

Liliane Arend disse...

ai que fofo!!! li a o coment da Isabel .... delícia :D
parabéns pra sua querida avó e que em todos os anos de sua vida ela continue tendo essa felicidade imensa em viver!
um beijo pra vcs com mto carinho ;)

Li
londrescomfilhos.blogspot.com

- tirei a moderação dos coments, pode ser isso q estava dando problema ... beijo estou emocionada com seus textos

Mirys + Guigo + Nina disse...

Nana: pode deixar que eu vou dar beijos por todas nós, sim!!! E vou ler seu recadinho pra ela, também. Assim que der.

Só não sei o que ela vai lembrar... mas tudo bem!

Bjos e bençãos.
Mirys

Mirys + Guigo + Nina disse...

Cá:

A vó Lourdes é uma fofa mesmo, não??? E, não se preocupe: ela adota todo mundo que for amigo / primo dos netos!!! Então, considere-se "com avó", de novo!

Bjos e bençãos.
Mirys

Mirys + Guigo + Nina disse...

Bell:

QUE DELÍCIA DE HISTÓRIA, amiga!

Obrigada por deixá-la registrada!!! Eu me lembrava direitinho do dia em que contei pra minha avó que era amiga de uma filha/neta/sobrinha de uma amiga dela... Mas não sabia de todo o resto!

Love you!

Mirys

PS: para não ser mais "anônima", clique na opção "nome / URL", nos comentários. Daí, é só escrever seu nome e deixar a URL (página da net) em branco, mesmo.

Mirys + Guigo + Nina disse...

Oi Li!!!

Obrigada por aparecer por aqui! E parabéns pelo seu mocinho super educado!!! (post dos dinossauros)

Vou tentar te deixar recados no Londres com Filhos, de novo. Mas, não tire a moderação, não!!! Tem muito maluco pela net. Não dá pra arriscar!

Bjos e bençãos.
Mirys

O Divã Dellas disse...

Eu não vou falar muito, porqeu me emocionei demais.
Se puder, leia: http://odivaadellas.blogspot.com/2010/11/eu-te-amo-de-varias-formas-ditas-ou-nao.html
Aí vc vai entender meu estado agora.
Beijo,
Cinthya
http://odivaadellas.blogspot.com

Dani disse...

Dá um beijão nela por mim!
A Nayla se apaixonou pela sua/nossa Vó Lourdes... também, quem não se apaixona?!
Dani

Mirys + Guigo + Nina disse...

Ci:

Já li. E já entendi!...

Me desculpe por trazer lembranças...

Mas, se quiser adotar a minha avó, fique à vontade! Ela a-do-ra netos!!! Quanto mais, melhor!

Bjos e bençãos.
Mirys

Mirys + Guigo + Nina disse...

Daninha:

Como não se apaixonar???
Essa é a pergunta...

Bjos e bençãos.
Mirys

Idê Maciel disse...

... acabei de ler e a-mei... Ah que bom ter vos como a sua. Parabens a todas, inclusive a neta.

Maria Elvira (Megs) disse...

Nossa, Mirys, que emoção em ler esse texto.
Perfeitoooooooooooooo............
Eu me enxerguei nos anos 90 sentada na muretinha da area da frente da casa dela, indo até a cozinha, depois de atravessar a sala...
Ela sentada, com aquela simpatia toda e a gente se sentindo em casa..... mais que em casa. principalmente pra mim, que morava em pensao e perdi minha avó aos 4 anos....
Nossa, pra mim, aquelas festas era td..........
na cozinha, a gente tomava conta de td e bebia as bebidinhas de morango.....
E o Fer.... meu Deus, qta gentileza, como sempre.....
Ai, to emocionada..... Obrigada por me transportar a uma das melhores epocas da minha vida!!!!!!!!!
Saudades pra sempre............... bjs

PS. Depois que nos formamos, poucas vezes fui a cidade de sua avó, mas sempre fiz questao de passar perto da casa dela..... perto daquele clube.....
Infelizmente, sp vou a sua cidade, por motivos nao muito agradaveis, como vc sabe.....
mas td vez que entro no Mc Donaldos enxergo o Fer me mostrando os filhos com tanto amor e dizer que vc tava muito feliz sendo mae....
desculpe, acabei escrevendo demais, mas nao consigo deixar de lado o imenso amor que tinah por ele.... gde beijo (de novo)

Mirys + Guigo + Nina disse...

Tia Idê:

Cá pra nós, acho que você vai ser uma vó tão presente e impactante quanto à minha! Não vai não???

Bjos e bençãos.
Mirys

Mirys + Guigo + Nina disse...

Megs: agora, quem ficou saudosista fui eu!!!

Você se lembrou direitinho da minha vó e da casa dela! Que delícia eram aquelas incursões à cozinha, não? E a minha vó fazendo batida de melão, porque ninguém sabia fazer batidas e tudo o que tínhamos era melão??? kkkk

Quanto ao seu encontro com o Fer no Mc... eu não me lembrava disso! Conta mais! É sempre bom saber das histórias da vida...

Bjos e bençãos.
Mirys

PS: boa sorte no tratamento! Estamos em oração!

Megs disse...

Nunca me esqueci da sua avó..... da casa, enfim.....

Um dia, após sair da Clinica Segalla, fui com minha mae (como faço até hj) comer no Mc (na minah cidade nao tem e ela ama).

Qunado fomos sentar, reconheci vc... so depois vi o Fer sentado na sua frente....

Vcs estavam sentados naquela mesinha do meio, ao lado da janela (parece um trem...rs)

Ai eu fui la.... Nossa, o Fer levantou e ficamos falando um pouco...

Vc estava com a helena no colo. O Fer td orgulhoso me mostrou pros filhos e pra vc.
Disse que vc estava realizada sendo mae, que estava dando aula numa facul de la e ele estava num escritorio.
ofereceu a casa de vcs pra td o que eu e minah mae precisasse (contei a ele o que eu tava fazendo la)
Pos ate seu pai a disposição...rs
Ai ele me deu o cartao dele e eu dei meu telefone.

Nossa, resgatei uma boa parte de mim.....foi muito bom, afinal sp adorei o Fer... (vejo o sorriso dele)

Ai, nunca mais nos falamos, mas td vez q eu ia a Jau procurava por vcs na rua, no Mc.... mas nunca mais vi....

Entao, no fim do ano passado falei pelo msn com a Ju Eid e ela me falou do acidente. Que choque. Fiquei noites sem dormir....

E atualmente, td vez q vou a jau, no Mc..... a lembrança fica mais viva, entende/


bjs, sauddssss


obrigada pelas orações...

Kareen disse...

Apenas pessoas com muita sensibilidade conseguem descrever assim o que acontece entre avós e netos. Sou apaixonada pelas minhas amadas vovós e fiquei emocionada ao ler o texto.
Deus abençoe a tua família linda.
Kareen

Ju Louseiro disse...

Myris (de novo) são essas lembranças que devem ficar pra sempre na sua memória...

Sua vózinha foi uma LINDA e foi brilhar com Jesus lá no céu...

Um beijo

http://www.fuxicodenoiva.com.br
http://casamentodossonhos-juefe.blogspot.com