sábado, 26 de março de 2011

Era uma vez 10 - As outras turmas (Diário da Mirys)


Amores, permitam-me mais um parênteses! É que falei que tinha muitas turmas nas faculdades, mas só contei como era a turma que tinha o Fer. E vários dos meus amigos daquela época estão, agora, lendo esse blog.

E tenho histórias divertidíssimas para contar deles!!! E eles vão se lembrar de muitas outras mais (porque minha memória não é lá essas coisas)!!! E vocês vão rir! Então, acho que é um preço justo por uma pausinha, né?

Minha classe de direito, assim como minha classe de jornalismo (assim como quase todas as classes de qualquer faculdade, eu imagino), era bem heterogênea. Tinha nerd, tinha bagunceiro, tinha estudioso, tinha as meninas-arrasa-quarteirão, tinha os carinhas do Centro Estudantil, tinha os filósofos, tinha os avoados, tinha os mais velhos com seus sábios conselhos. Durante um bom tempo, se eu não estivesse com a turma do Fer, eu estava com a... galera do truco. Vamos chamá-los assim e não citar nomes porque, hoje, todo mundo virou "gente importante" no mundo e seria ridículo alguém ir para uma audiência e ter um ataque de risos na frente do juiz! Imagina a pessoa tentando explicar: "-Sabe o que é, Excelência? É que eu li no blog da Mirys que Vossa Excelência tomou um NOOOOOVE na testa, numa tarde de terça-feira, que até perdeu o rumo!". KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Mas, a galera do truco era espetacular. Tinham 3 meninas e 3 meninos. Tinha o "Cop" (único que tinha apelido)! Que saudade dele! Tinha um de lindíssimos olhos claros que... ai, ai... Mas eu tinha namorado! Lembram? Mas a pessoa mais chegada a mim, naquela turma, era uma menina que não tinha nada a ver comigo! Sério! Qualquer um que olhasse diria: "-Essas duas não têm nada a ver!". Eu não disse?

Só que ela era ótima! Engraçadérrima!!!! Desbocada que só ela (e eu não suportava palavrão). Adepta da noite (e eu proibida de sair por pai e namorado). Falante, cheia de amigos, cozinheira de mão cheia!!! Ainda me lembro de um dia que nos convidou para almoçar na casa dela. Eu cheguei mais cedo e me ofereci para ajudar.

"-Tá, Mirys. Descasca essas batatas."
E, 10 minutos depois, eu ainda na primeira batata, sendo que mais da metade dela estava junto com a casca, no lixo.
"- Ôh, Mirys! Você não sabe nem descascar uma batata, mulher????"
Poxa... eu não sabia... Mas, pratiquei desde então e, hoje, B., se você quiser vir jantar em casa, eu prometo fazer um cardápio todo batatal só pra te agradar! E guardo as cascas para provar que não tem nem um tiquinho de batatas nelas!!!!

Como todos os grandes amigos de faculdade do mundo, a vida nos afastou no "depois". Ficamos anos e anos e anos sem nos ver. Mas, como todos grandes amigos que merecem esse título, nos encontramos quase uma década depois, num domingo. E ela disse: "Mirys!!! É você mesma!!!! Vou me casar e queria demais te encontrar e te entregar o convite!!! Você vai, né?" "-Claro que vou, B.! Até sem convite formal! Deixa eu pegar minha agenda para marcar. Quando é o casório?" "- No próximo sábado!".

Eu fui. Na verdade, nós fomos (eu e o Fer e o Guigo bebê). E nunca mais paramos de nos falar, desde então, apesar das duas já terem mudado de cidades e ficado fisicamente distantes, de novo.

Voltando à faculdade, eu tinha a turma de jornalismo, também. Que quase não conheceu o Fer (os mundos de jornalismo e de direito eram em universos paralelos naquela época. Imagino que hoje ainda seja assim...). Mas que vibrava com cada história dramática e movimentada do namorado número 4. As meninas moravam todas juntas (na verdade, só umas 7, mas eu tinha a impressão de que eram todas porque todo mundo se reunia naquele apertamento).

Quando eu estava com elas, eu estava mais no meu normal: um mundo falante (jornalista tem que falar pelos cotovelos, né?), com roupas largadas, amigos alternativos, evitando os salgados da cantina e jantando miojo em casa, para economizar. Dura e deliciosa essa vida de estudante de jornalismo!

Também fiquei anos luz sem ver todo mundo. Mas, quando eu morava em São Paulo, encontrei por acaso um amigo que tinha feito as duas faculdades comigo. E ele tinha os e-mails de alguns. Eu tinha de outros. E combinamos uma festa em casa. Só que a casa dele era mais fácil pra todo mundo chegar e nós mudamos a festa pra lá. E assim, um ligando ou mandando e-mail "para quem você tivesse na sua lista", conseguimos reunir umas 20 pessoas da turma na casa dele! Sorte que era na Avenida Paulista porque a festa foi tão animada e demos tanta risada que a filhinha de uma das meninas quase nasceu naquela noite (nasceu 2 ou 3 dias depois, eu acho)!!!

Se você faz parte de lá ou de cá, se é meu colega de faculdade, se tem o contato de alguém daquela época, please, please, please, faça um sinal de fumaça porque eu quero muito ter o contato de todos vocês, de novo!

Voltando... a viagem, outras pessoas.

Cenas do proximo capítulo aqui

5 comentários:

Megs disse...

Mirys..........
O que fez as duas faculdades com vc e vc encontrou em Sampa, era o Sergio?
Tenho saudd dele...
Ele gravou uma fita K7 do Caetano pra mim, linda (tenho ate hj)...
Entao, infelizmente nao tenho contato com quase ninguem.
So com as duas "Jus": a da cidade da faculdade, que esta em SP e eu falo com ela pelo msn, g a Deus.
E a da minha cidade, que tb mora em SP e eu a vejo nos feriados.
Ja a C. que morou tds os dias da facul, comigo na pensao, eu nunca mais vi. pode?
Nem noticias dela eu tenho.
Sinto tanto por isso....
E tb falo c a Glaucia as vezes. Só...
Queria tanto falar c mais gente.....
Saudd
Bjs

Mirys + Guigo + Nina disse...

Megs:

Quem eu encontrei foi o Fabinho (Grellet), lembra? Eu era bem amiga dele nas duas faculdades. Também... ele é o máximo, né?

O Serginho também sumiu da minha vida... mas está voltando! Porque estamos organizando um super encontro da galera de jornalismo, 15 anos depois. Delícia!!!!

Bjos e bençãos.
Mirys

Megs disse...

Ai, claro que lembro....
Tinha esquecido que o Fabio fez jornalismo tb....
Eu o tenho no orkut e sp vejo as fotos dele no carnaval, q ele amaaaaaaaaaaa...rs
Se vc os vir, manda um hiper beijo.
Saudd

Anônimo disse...

ebaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
EU SOU A BBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBB
kkkkkkkkkkkkkkkk
ri e chorei... até que enfim apareci nessa saga!
mas preciso fazer uma correção...
vc apareceu na minha casa NO DIA do meu casamento...
e FOI!
veja você... em outra situação, a pessoa se sentiria melindrada por não ter recebido convite... mas você bem sabia que eu ignorava completamente seu paradeiro e, com toda a humildade que lhe é peculiar, colocou uma linda roupa branca - de anjo - no Guilherme, e FOI...
posso mandar a foto?
para mim é uma lembrança tão feliz... não quero que seja triste para vc, por isso peço permissão...
sabe, meu casamento foi cheio de significados... pouca família, apenas três amigos... muitos ficaram de fora... mas eu queria os fundamentais lá... não é que vc apareceu, por acaso?????????????
não acredito em acasos... fiz um baita sacrifício para deixar o casamento o mais próximo do que eu sonhei... e vc abrilhantou, por isso, tem uma foto toda sua no meu álbum... lugar de honra... assim como tem no meu coração...
continuo desbocada...
continuo cozinhando...
continuo fazendo vários "fregueses" no truco...
continuo admirando você, da mesma forma... desde fevereiro de 1992...
(caramba Mirys, quase vinte anos!!!!!!!)
amo você...
obrigada por lembrar...
eu sou a B... amo!

Kinha disse...

Faculdade rende boas lembranças. Ô época boa!