quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Vazia, perdida, sozinha... (Diário da Mirys)

Tenho andado tão tristinha que estou assustando até a mim mesma!
Isso não é o meu normal! Pelo contrário: sou super positiva. Como dizem minhas amigas, para mim, o copo está SEMPRE meio cheio (e nunca meio vazio).

Mas, o final do ano se aproxima e eu me sinto vazia, perdida, sozinha.

Vazia porque todos aqueles sentimentos normais e super familiares do final de ano não estão aqui. Não dentro de mim. Vejo presentes perfeitos para certos amigos e não me animo a compra-los. Vejo ruas iluminadas e os olhos não brilham. Ouço canções super inspiradas e o coração não se alegra. Parece que existe um buraco negro aqui dentro e nada de bom fica, nem por uns segundos!...

Perdida porque não consigo ver sentido em tudo isso e, por isso, não sei para onde ir. Casa da minha mãe? Casa da minha sogra? Como todos os outros anos... Fugir do mapa? Comemorar na casa de amigos? Como eu nunca fiz (mas talvez devesse)... O problema é que tenho essa sensação de que eu não me encaixo em nenhum lugar e não sei pra onde correr. Qualquer lugar onde a ausência dele não esteja...

Sozinha porque... por motivos óbvios. É a velha história de se estar sozinho na multidão. Ninguém te abraça. Ninguém passa o braço ao redor dos seus ombros. Ninguém mexe no seu cabelo. Ninguém te olha com aquele brilho. Ninguém te dá um beijo de feliz ano novo... não deu e não vai dar. E mesmo que alguém vá me abraçar, na noite de 31 de dezembro, não será um alguém "meu". Nem que fosse de mentira! Só pra transformar esse fim de ano em algo menos cortante!...


Então, a sensação de ser uma observadora da própria vida voltou. É como se eu estivesse fora de mim, vendo uma garota passar os dias e noites sorrindo, desejando felizes festas, cuidando dos filhos, jogando mil jogos de tabuleiros com eles, visitando pessoas, agradecendo os cuidados que lhe foram dispensados nesse ano que passou. É bem forte essa garota! Parece ser, pelo menos. Quando eu for grande, quero ser como ela!...

6 comentários:

SINALIZAÇÃO VIÁRIA disse...

Força Mirys! Com fé em nosso bom Deus você irá conseguir. Tenho a certeza...

Bjs,
Emanuel.

Turquezza disse...

Mirys, é realmente um período difícil! Eu tenho pessoas queridas que moram longe do Brasil e sinto um vazio também. Imagino o seu!
Mas tente "começar de novo", pelos seus filhos. Tente uma psicóloga, lhe ajudará muitíssimo a atravessar fases muito, mas muito sofridas. Boa sorte querida. Beijos.

Robson disse...

Todos temos nossos momentos de "deserto".
Todos passamos por coisas pelas quais achamos jamais estar preparados, porém...
PASSAMOS!
Talvez demore pra entender ou pra aceitar esta fase de transição, mas o aprendizado nesta fase não é facultativo e sim OBRIGATÓRIO!
Aprendemos não sobre a situação em si, mas principalmente sobre nós mesmos!
Quando menos perceber, estará pensando muito mais no que vem pela frente do que no que passou.
Passou. Fato. Imutável. Inesquecível.
Agora é hora de projetar, sonhar de novo, respirar e... VIVER!!!

Peace out!

@robsoncaffe

Taís Sandoli disse...

Mirys....

A dimensão dos meus dramas me parece tão irrelevante quando os comparo aos vividos por outras pessoas mas, sem querer parecer egoísta, ao longo desta postagem tive a nitida sensação de que autoria dessas frases era minha...

E, essa sensação, me revelou uma coisa muito importante: A força de ativação está, unica e exclusivamente, dentro de nós mesmas!

Obrigada por fazer parte da minha vida e me ensinar tantas coisas!!

Beijos Beijos Beijos

Megs disse...

Acho que td mundo que ja perdeu alguem importante ja sentiu exatamente isso...
Nao me lembro certo do meu primeiro Natal sem meu pai.... Melhor nao lembrar...
Sorte que Deus é perfeito...
Hj passo tds os dias e minutos com ele...
É que com o tempo pude perceber que ele ta mais comigo do que nunca.
Gde beijo

Megs disse...

Gente, sei que o trecho do texto que vou postar aqui é meio triste.
Mas a vida nem sp é alegre e eu amo essa escritora.
Pra mim, retrata bem os meus sentimentos....
Falo de Martha Medeiros. Aos que não conhecem, espero que gostem...
Bjs


"Tenho um respeito tremendo por quem sofre em silêncio, principalmente pelos que sofrem por amor. Perder a companhia de quem se ama pode ser uma mutilação tão séria quanto a sofrida por Lars Grael, só que os outros não enxergam a parte que nos falta, e por isso tendem a menosprezar nosso martírio. O próprio iatista terá sua dor emocional prolongada por algum tempo, diante da nova realidade que enfrenta. Nenhuma fisgada se compara à dor de um destino alterado para sempre."