quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Gentileza - Coisas Imprescindíveis da Vida nº 2


É tão bom receber um telefonema inesperado, não é?
É tão reconfortante receber ajuda no meio da rua, se você estiver precisando, não é?
É tão satisfatório receber um elogio "de graça" pelo seu trabalho, não é?
É tão agradável chegar em casa, exausta, e ver sua comida preferida feita especialmente para você, não é?

São esses pequenos mimos que tornam nossos dias especiais! E por que os deixamos tão esquecidinhos, guardados na gaveta? Por que as pessoas não são mais gentis com os amigos, os familiares ou mesmo com os estranhos, hoje em dia?

Gentilezas são aquelas coisas que você faz, mesmo não precisando (é aí que está a graça da coisa), só "porque sim". Atos de gentileza, pequenos ou grandes, são inesquecíveis e tornam o benfeitor alguém mais humano (no sentido literal da palavra)! Quer exemplos?

Uma vez (na verdade, duas vezes) me vi perdida em uma cidade que eu não conhecia, sem ter para onde ir e sem ter como pedir ajuda (eu não conhecia os costumes e não falava aquela língua, por isso tinha me metido nessas enrascadas). Na primeira vez (não disse que eram duas? Há!), acabei encontrando um jeito de me comunicar e perguntei como chegar onde eu queria chegar. A senhora que tentava me ajudar começou a explicar o caminho, mas acho que percebeu na minha cara o "terror" (ou seja, que eu não estava entendendo nada) e decidiu me mostrar o caminho. Literalmente! Ela pegou na minha mão, eu peguei na mão do Fer e lá fomos nós quatro (ela tinha um cachorrinho) + o pão que ela tinha comprado, até chegarmos na rua certa. Então, ela disse: "aqui". Pronto! Super gentil, não é mesmo?

Segunda enrascada: eu cheguei numa ilha, com o único barco que ia para lá, às 19hs. Só que todos os hotéis / pousadas / chalés fechavam a recepção às 18hs! E o trem para a cidade mais próxima (uma hora dali), na ilha, saia às 18hs. Ou seja, até hoje fiquei sem entender por que cargas d´água colocaram um barco para levar turístas para aquele lugar (lindíssimo, diga de passagem) num horário DEPOIS de tudo já ter fechado??? Será que eles não sabem que, no mundo inteiro, alguém pode ter um costume diferente do deles e não estar previnido com sua vaga de hotel reservada? O pior é que se a gente dormisse na praia (chegamos a pensar nisso, pois era a única opção que restara), seríamos presos! Não é lindo? Me deu um ataque de pânico e comecei a chorar. Nisso apareceu um senhor dizendo "não chore, não chore" em italiano (só descobri o que ele dizia MESES DEPOIS), mas como a gente não conseguia se comunicar, chegou a esposa dele. Ela foi tentando outras línguas até que conseguimos manter um mínimo de comunicação. Vendo a nossa situação, ela foi em casa, pegou o carro, nos levou para um camping que ficava uma meia hora de carro, no meio da mata, para ver se tinha lugar. Claro que estava fechada a recepção! Mas tinha alguém ali (eles só param de atender. "Só isso"). Então, a mulher começou a conversar e convencer o cara da recepção que ele já estava ali mesmo, que a gente já estava ali mesmo, que tinha um cantinho embaixo de uma árvore ali mesmo, etc. Ele "cedeu" e resolveu pegar papel e caneta e nos inscrever. Ele falava com a moça, que falava comigo, que respondia para ela, que respondia para ele. Ela até mesmo brigou com ele porque nós não tínhamos barraca (hello???? A gente estava pensando numa pousada, não num camping!), ele tinha, mas não podia alugar "depois das 18hs". Daí, ela perguntou: "-vocês tem colchonetes?" NÃO!!!! "-Claro que não, né? Olhem, tenho duas bóias de piscina aqui, se quiserem". Resumo: dormimos numa barraca para um, em dois colchões/bóias compridas de piscina, com os pés pra fora da barraca, usando toalhas como lençóis, comendo pizza com a mão (cortada com canivete! Esse, a gente tinha!).

Por fim, um exemplo de algo bacana, gentil e super normal que qualquer um pode fazer: tenho um colega de serviço que, toda manhã, busca pães de queijo para ele. Ás vezes, ele compra para os filhos "para que eles levem de lanchinho, pois eles adoram pão de queijo". Super gentil! E você pode estar pensando: 'mas ele é o pai! "Deveria" fazer isso'. É verdade... todo pai deveria ser carinhoso assim. Mas nem todos são! Então, esse meu colega pode fazer alguma coisa legal... E FAZ! Um dia, caí na bobagem de comentar que eu também adorava pães de queijo. Agora, de vez em quando, ele me faz uma surpresa e avisa, no começo do expediente: "mirys, quando você for tomar um chá (não tomo café), tem um pão de queijo para você, também! Espero que goste!". Viramos amigos! A família dele é o máximo (só poderia, não é?), a mulher dele é linda e super bacana, os filhos adoram brincar com os meus. De um simples pão de queijo (que, aqui, custa R$ 1,00!!!) construímos uma amizade entre duas famílias.

Bom, hoje, por NADA, eu comprei um bombom para minha colega de sala (uma moça muito bacana, também). Só para tornar o início do final da semana dela mais doce. Só para ser gentil!

E você? O que já fez de gentil, hoje? Corre! Ainda dá tempo!!!

3 comentários:

fernanda cristina disse...

Acabei achando seu blog quando estava no Vigilantes da Autoestima(Gisela Rao). Adorei e acho que vou viciar nele! Parabéns pela iniciativa. Abs, Fernanda

Tatiana disse...

Nao tenho a menor duvida, gentileza gera gentileza, como voce mesma colocou no blog, fora a maravilhosa sensacao que sentimos quando ajudamos ou levantamos a auto estima de alguem!!!
A sua proposta é o maximo, mas estou no meio de uma mudança, de país, enroladissima, e nem sei por quanto tempo estarei sem internet. Te agradeço muito o convite mas acho que terei que deixar para outra ocasiao,ok?
Super obrigada pela visita e comentario e seja super bem vinda!!!
Beijos!

ana_claudina disse...

Oi, Miriane.....
Acho que já nos cruzamos em algumas festinhas....sou amiga da Dani das gemeas e da Sabrina....Irmã da KAKA (NIE) e amiga da Maya (sua irmã).
Dr. Mair falou do seu Blog....Adorei....parabéns para vcs....sei que é um momento muito triste....mas vc está no caminho certo viu....
Bjs