terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Respeito - Coisas Imprescindíveis da Vida nº 14


As tais palavrinas "mágicas", do tipo POR FAVOR, DESCULPE-ME, COM LICENÇA e OBRIGADA, parecem estar meio fora de moda. Parecem ser coisa de antigamente... Como se pais "modernos" não precisassem ensinar isso, hoje em dia.

Atualmente, o que se ensina é criança crescer em mundo competitivo: então, ela tem que ser a melhor, a maior, agarrar todas as chances (as delas e as dos outros) com as duas mãos, lutar pelos "direitos" que ela tem (sem se preocupar com ultrapassar os limites dos outros. Os outros também tem direitos? Eles que briguem pelos deles!). Ninguém ensina a ceder, ninguém ensina o que fazer quando se está errado (porque, afinal de contas, somos todos perfeitos e infalíveis, certo?), ninguém ensina a respeitar o espaço do outro.

Tudo bem... talvez "ninguém" seja um exagero. Conheço várias pessoas que passam essas coisas tão importantes para os filhos! Infelizmente, o grupo é muito, mas muito menor do que deveria ser.

Enquanto isso, eu ainda assusto quando alguém me diz que eu sou muito "dura" com as crianças porque o Guigo disse "obrigado", a Nina pediu com "por favor", porque um pediu desculpas para o outro sem eu mandar pedir, porque eles chamam os mais velhos por "tio/tia" ou "senhor/senhora". Impressionada fico eu! Não era para ser assim? Me desculpem, se sou das antigas, mas meus pais me ensinaram assim! Sou da velha escola, fazer o quê?

Melhor isso do que ver seu filho protagonizar o que eu vi hoje: um chefe perguntou para um subordinado se estava tudo bem, porque o subordinado estava atrasado (muito! Mais de 45 minutos!). Sabem o que aconteceu? Ao invés da pessoa responder "aconteceu isso ou aquilo" (cada um tem suas coisas graves que acontecem na vida) ou um simples "desculpe. Não vai mais acontecer", o subordinado começou a discutir com o chefe e até frases como "você só vê as pingas que eu tomo" e "qual é o problema de eu dormir mais quando eu quero?" vieram à tona. A pessoa batia boca, mesmo, em total desrespeito, não só com a hierarquia, mas com o outro ser humano que estava ali, na frente dela, fazendo o seu trabalho (de ser chefe e chefiar!). Galera, desculpe-me, mas RESPEITO É BOM E EU GOSTO E TODO MUNDO GOSTA!!!

Então, para evitar a total falta de noção no futuro, continuo sendo exigente com meus doizinhos. E continuo falando: "eu gostaria de completar o tanque, POR FAVOR", "eu precisava ver aquele processo, POR FAVOR", "a comida estava muito boa, OBRIGADA" (seja o garçon do restaurante finérrimo ou a ajudante lá de casa), "DESCULPE filhote" (quando eu estou errada) e vou continuar batendo na porta e pedindo licença antes de entrar num espaço que não é meu. Eu sei que o frentista, o cartorário do Fórum, a minha ajudante vão continuar a fazer o trabalho deles, mesmo que eu não fale isso (até porque eles são pagos para isso). Sei que meus filhos vão me amar, mesmo que eu não peça desculpas e meus pais, também, mesmo que eu adentre o quarto deles sem avisar. Mas, nós somos mais do que dinheiro, vamos além dos nossos trabalhos, todos temos os nossos espaços, tem uma pessoa de carne e osso embaixo do uniforme nosso de cada dia.

E, vamos combinar, um "por favor" antes e um "obrigado" depois não matam ninguém né?

OBS: aproveito para dizer OBRIGADA IMENSO (como diz a Lila) para todos aqueles que lêem esse blog e mandar beijos para aqueles que deixam comentários! Eu continuaria a escrever mesmo que ninguém lesse e comentasse... mas vocês tornam meu dia muito melhor (porque também existe uma pessoinha debaixo desse "uniforme"). Obrigada, obrigada, obrigada!

Um comentário:

danibadanai disse...

Cada nova mensagem que leio fico mais orgulhosa!
Você consegue expor tudo o que penso de uma forma "elegante e sincera". A-D-O-R-O..
Assim faz com que muita gente reflita e colabora com seres humanos mais.. humanos!
Beijão