segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

HELP - Coisa Imprescindível na Vida nº 6


Ajuda - todo mundo precisa de ajuda. E ela é super bem-vinda! Só que nem todo mundo reconhece que precisa dela... E nem todo mundo ajuda!!!

Nâo estou falando daquela ajuda que extrapola, que invade espaços privativos, que quer te auxiliar "com a condição de...". Não! Estou falando daquela coisa imparcial, daquela atitude autruísta, daquela vontade de dar uma mão só por dar uma mão, daquela que auxilia perguntando "está tudo bem, por você?".

Tem gente que te ajuda mesmo sem saber! Durante algum tempo da minha vida, o dinheiro foi curtinho, lá em casa. Então, cortamos TV a cabo e outras coisas supérfluas, mas a abençoada tranquilidade de conseguir fechar todo mês no "azul" não vinha. Pois, hoje em dia, o "básico" é caro! Era um jogo de cintura total, mas, no fim do mês, a gente quase sempre tinha que invadir nossos investimentos bancários e tirar um pouquinho das poupanças, para conseguir fechar a conta corrente. O pior nisso tudo era ter que falar "não" para as crianças. Ai, como era difícil!

Falar "não, você não vai no McDonalds toda semana" é simples (e recomendado!). O duro é quando era alguma coisa tipo suco de pó (ao invés da desejada e saudável água de coco), lápis e canetas normais (enquanto os dos colegas tinham brilhos, carrinhos pendurados, cores diferentes), viagens para casa de amigos (não dava nem pra pensar muito nisso). Graças a Deus, os avós sempre foram muito presentes nessas horas de comprar material e uniformes para o início do ano escolar, por exemplo. Mas... eles são avós... já guardaram um dinheirinho... e só tinham aqueles dois netos para paparicar... Não que fosse obrigação deles fazer isso = nunca foi! E nós sempre fomos muito agradecidos por todas as "lembrancinhas" - roupas, sapatos, cadernos - que eles traziam para as crianças e pelos passeios que eles nos davam, só porque "eles queriam" ficar um tempo com a gente. Só que, pela vida estruturada que eles já tinham, era mais tranquilo para eles fazer isso sem se apertar em casa...

Mas, o que marcou muito para mim e para o Fer foi uma tia das crianças, que vira e mexe aparecia em casa, depois de um dia de trabalho, com uma caixa do supermercado, cheia dessas coisas de "não posso" para os pequenos! E ela sempre fazia de um jeito tão meigo, do tipo "eu estava no mercado, mesmo, fazendo compras para mim, e vi isso, e lembrei das crianças, e só quis trazer um agradinho", que a gente nem sentia aquilo como uma afronta do tipo "vocês não tem condições, então...". A gente sentia como amor. Amor em forma de ajuda! E só! Então, guardávamos aquelas guloseimas para quando eles pedissem "algo diferente" e, sempre que entregávamos para as crianças, dizíamos "foi a tia X e o tio Y que trouxeram para vocês". Assim, nossos pequenos se lembravam de agradecer, também.

Hoje, como a situação mudou e minha vida está mais parecida com a da minha inestimável ajudante (financeiramente falando, porque a mocinha ainda não tem filhos, ou seja, ainda não me deu sobrinhos!), procuro fazer a mesma coisa = ajudar os outros. De uma forma leve. Sem obrigações. Como um agrado, mesmo. Mas, quando alguém me diz "você não sabe... chegou em boa hora!", eu só penso com meus botões "eu sei... eu sei...".

Gostaria de ajudar mais gente, dessa forma. Mas não dá. Ainda tenho uma casa pra manter sozinha. Então, ajudo de outros jeitos. SIIIIIMMMMM porque existem muitas outras formas de ajudar!!!

Seu amigo tem um projeto pessoal que não consegue terminar? Dê uma mãozinha!
Sua amiga gostaria de aprender uma língua que você já sabe? Ensine!
Seu amigo precisa de alguém para tomar conta das crianças? Esteja disponível!
Sua amiga precisa conversar? ESCUTE (de verdade!!!)!

Sempre vai ter alguma coisa que você pode fazer por alguém. SEMPRE!!! Leia de novo = sempre! Então, arregace as mangas e mãos à obra!!! Coloque seu espírito colaborador pra trabalhar, nessas festas! É uma boa época para se começar!

Esse post é dedicado a TODOS OS MEUS AMIGOS (incluindo todos aqueles que passam por aqui e leem este blog - o que também me ajuda muito, viu?) que me ajudaram a manter meus pezinhos no chão e seguir em frente, nesse ano que não foi fácil! Bjo! Bençãos! Obrigada! Amo vocês!!!!

OBS: este post foi inspirado numa música linda (claro! É dos Beatles!) que eu ouvi num show bárbaro, aqui nessa viagem.
Help! I need somebody! Help! Not just anybody!
Help! You know I need someone... so HEEEEELLLLPPPP!
Help me if you can... Im feeling down...
And I do appreciate you being 'round
Help get my feets back on the ground
Won't you please, please help me???
And now my life is changed in so many ways
My independence seems to vanish in the raze
And every now and then I feel so insecure...

(tradução livre)
Socorro! Eu preciso de alguém! Socorro! Mas, não qualquer um!
Socorro! Você sabe que eu preciso de alguém... então, me ajude!!!!
Ajude-me se você puder... eu me sinto pra baixo...
E eu gostaria muito de ter você por perto
Ajude-me a trazer meus pés pra Terra de volta
Por favor, por favor, você me ajudará?
E agora minha vida mudou em tantos sentidos
Minha independencia parece desaparecer na neblina
E uma vez ou outra eu me sinto tão insegura...

Um comentário:

danibadanai disse...

Me identifico muito com esse "help" e quando penso em conquista (tema do outro post, né?), procuro pensar no quanto já fizemos e ainda pretendemos fazer para a nossa "pequena" que acabou sendo única para que pudessemos dar o melhor a ela (única pelo menos por enquanto.. rs..)
E para que isso fosse mesmo possível, contei e ainda conto com anjos que fazem parte da minha vida. Talvez esses anjos não tenham a verdadeira noção do quanto são importantes! Que Deus os proteja, sempre!
E que mais pessoas possam transformar-se anjos...
Beijos...