terça-feira, 17 de agosto de 2010

Eu morri também... (Diário da Mirys)


Há algum tempo atrás, quando ainda morava em Ituverava e ia (3hs) e voltava (mais 3hs) todo final de semana para Jaú, dirigindo, eu tive a deliciosa companhia da Melina, por diversas vezes. A Mel (como - acho que só eu - eu insisto em chamá-la) também tem um grande amor: o Fer. O Fer dela! Claro...

Então, a gente tava no meio da estrada e o celular dela tocava. "-Oi Fer". Com tanto carinho. Nem que fosse pra discutir, depois. Mas o primeiro "oi Fer" era carregado daquilo que ela sentia de verdade. E eu, secretamente, morria de inveja (boa!) dela, mesmo quando eles discutiam (o que era raríssimo, diga-se de passagem).

Não sei bem o porquê, mas, um belo dia, durante a viagem, ela começou a me contar da história dela com o Fer dela. Foi uma delícia para mim! Juro!!!!! TEm gente que poderia achar isso meio "mórbido", triste, "transferência de situações" ou qualquer loucura dessas. Eu só achava lindo! Acho LINDÍSSIMAS HISTÓRIAS DE AMOR (Bell, me lembrei taaanto de você ao escrever essa frase!...). E a história deles era assim: de amor. Com encontros e desencontros, detalhes que faziam toda a diferença, momentos de paixonite total e de braveza, saudades marcantes (afinal, eles moram em estados diferentes!!!) e reencontros emocionantes! Claro que não vou contar nenhum episódio aqui porque essa história pertence a eles dois e não a mim. Então, se vocês quiserem saber, vão ter que perguntar a ela (ou esperar ela postar um comentário!).

Mas fato é que cada coisinha que a Mel me contava da história dela, me lembrava a minha com o meu Fer. Ás vezes, porque a gente tinha passado por coisas bem parecidas (beeeeem antes, pois a Mel tem 3 anos de relacionamento... eu tinha 15!), às vezes, porque eu já fazia o final do capítulo da história dela na minha cabeça e era surpreendida por um desfecho que não tinha pensado, às vezes, porque... sim. Simplesmente porque sim. É paizinho... essa frase é válida, em alguns momentos da vida ("-porque sim não é resposta, mocinha!"). O resultado era que eu me lembrava da minha história. O nome dos participantes... talvez... sei lá...

E, numa tarde dessas, no meio do caminho, eu falei algo para a Mel que, só naquela hora, eu percebi que era verdade: não foi só o Fer que morreu. Eu morri também. Pelo menos, uma parte de mim...

Tinham coisas minhas que SÓ ELE sabia. Assim como tinham as dele...
Tinham vontades minhas que SÓ ELE entendia. Assim como tinham as dele...
Tinham histórias minhas que SÓ ELE tinha passado junto...
Tinham bobagens que eu fiz que SÓ ELE tinha presenciado...
Tinham acertos, também, que SÓ ELE tinha visto...
Tinham neuras que SÓ ELE tinha escutado...
Tinham defeitos que SÓ ELE conhecia...

Então, é isso. Quando alguém te fala, num altar, que os dois vão ser um, creia! Pode até ser que vocês façam coisas separadas, tenham interesses divergentes, frequentes lugares diferentes, de vez em quando. Essa frase não quer dizer que você será grudada na outra pessoa. Só quer dizer que, agora, a HISTÓRIA de vocês vai ser escrita assim: em conjunto. Que alguém vai te conhecer (ou, pelo menos, deveria) tanto que você vai ser capaz de se comunicar com o olhar. Que vocês vão virar uma equipe: e ela não é feita de atletas todos iguais, mas complementares, que vão se conhecer ao máximo para que essa equipe seja a melhor possível (desculpe-me, benzinho... sei que você não gostava muito quando eu falava que éramos um time... mas, agora, eu penso mais ainda assim! E viva o nosso time!). Que aquela conversa supostamente banal do tipo "como foi o seu dia" vai, aos pouquinhos, escrever a história de vocês.


Assim, quando alguém que faz parte de você desse jeito morre, ele não morre sozinho. Você morre junto. Pelo menos, uma parte de você....

Miss you so much...

10 comentários:

Nana disse...

Oi Mirys, td b?! Sou eu, a Ana Paula: amiga-meio-irmã da Tina. To lendo seu blog desde domingo que vc me passou o endereco no shopping. Tô amando td!? Q pena q ainda nao tenho "meu Fer"...qdo acho q tenho, descubro q estou errada...E, como vc mesmo falou, "porque sim" é resposta pra algumas coisas da vida... Bjs e fik com Deus.

Camila disse...

Prima, sei bem como se sente...
Tem uma parte (enorme) da minha história, lá atrás, em que ele e o Gu estavam tão próximos, que formávamos um time imbatível...
Hoje, quando toca uma música que eles tinham feito um 'remix' especial, ou cantavam horas a fio, fico com aquela sensação de solidão enorme, que me esforço muito em transformar em gratidão... afinal, foram momentos ricos e especiais, únicos, que me ajudaram a me tornar o que sou hoje.
bjo,
Ca

Juliana disse...

É Mirys, desse time o Rodrigo também fazia parte, só fico imaginando os momentos que vcs passaram juntos, gostaria de ter conhecido o Fer bem antes, mas o tempo que ele foi "meu primo" foi tão intenso que não me esqueço do abraço sincero...Ele me ensinou muita coisa em pouco tempo, principalmente a ser simplesmente uma boa pessoa. Muuuita saudade...

Almanir disse...

Oi Mirys

Mais uma com uma imaginação incrível.

Sogro

Almanir

Tathy Freoli disse...

Miroca, amore. Tenho certeza de q um orgulho enooooorme, mostruoso, enche agora as ruas de ouro lá no céu.
TE AMO

Matheus Augusto disse...

Nunca deixe de sonhar
Amigo o que a gente precisa
É um pouco de silêncio e paz
Sentados na beira de um rio
Olhando o que ele leva e traz
Que as coisas às vezes parecem
Com coisas que serão jamais
Imagens apenas da mente
Desatenta às coisas reais
Nunca deixe de sonhar
Nunca deixe de sonhar
Que a força que rege essa vida
Parece a do bem e do mal
Ilude mas não tem magia
É tudo muito natural
Preste atenção, no entanto
Existe encanto na solidão
Você com você sempre encontra
Resposta em seu coração
Nunca deixe de sonhar
(tiaMIGa)

Robson disse...

A gente morre e renasce junto!
É assim que me sinto ao ler e acompanhar seu blog!
Beijo gigante para vocês três!
Paz e música!

Coffee.

Marília disse...

Pois é, Miry´s, pessoas vão e vem na nossa vida, parte de nós morre ou continua vivendo em outros lugares. Aquele pensamento: "quando alguém que a gente ama parte, leva um pedaço nosso, mas deixa um pedaço com a gente." é a mais pura verdade. Temos de aproveitar muito o tempo que temos com nossos queridos pq não sabemos quanto isso durará. Mas vc tem ótimos pedaços para usufruir, 2 pequenos e lindos "pedaços". ;-) Beijo!

Anônimo disse...

affe...
amei ser citada... ainda mais no que diz respeito à LINDÍSSIMA HISTÓRIA DE AMOR... mas realmente é... (isso, eu disse é...) superlativa em todos os sentidos...
Realmente... uma parte morre... vai embora... dê a nomenclatura que quiser dar...
mas e a parte que é viva? e a parte que NÃO SE FOI COM ELE?
alguém está esquecendo o real sentido de SOS?
Save our soul...
é... realmente tem umas expressões que têm um sentido maior em inglês, né minha amiga?
uma partezinha da Mirys está com ele, seja onde for...
mas uma parte GIGANTE dele está aqui... seja Ituverava, Araraquara, ou onde quer que seu trabalho mande meus três mosqueteiros...
uma "partezona" dele está em mim... em cada lembrança... e TODA VEZ QUE TOCA O RAIO DA CARELESS WHISPERS... (nunca mais tive coragem de cantar... vou fazer isso no Primeiro vidoekê que pintar na minha frente...)
pode ser idiota, mas é uma PARTEZONA dele em mim...
sua parte que morreu, é a que ele levou...
se você ainda lembra desses detalhes, e que eram com ELE compartilhados, me desculpe, amiga... mas vc se equivocou... essa parte não morreu...
enquanto for lembrada, vive...
and... please...
Save Our Soul... no caso, a sua...
a minha com ele estava guardada, por covardia... achei que a lembrança faria doer mais a saudade... CHEGA... agora, quando alguém vier elogiar minha performance em Careless Whispers vou falar sobre o quanto ela era melhor antes que meu backing fosse fazer côro para os anjos... r*
e, no agudinho do final, vou pedir licença poética ao autor e trocar o verbo...
"And Nooooooooooooooooow who's gonna sing with me????????
Please sinnnnnnnnng"
hehehe... não é que ficou bonitinho?
eu sei que ele, esteja onde estiver, vai encaixar sua voz na minha com a maestria de sempre... nem que esse "onde" seja meu pensamento...
he lives... I know... I feel...
(alguém me falou algo sobre sofrer apenas o necessário, não é?)

meio sem sentido? pode ser... mas foi o que saiu...
amo você...

Sandro disse...

Oi Mirys,

Não nos conhecemos.
Mas ao receber seu comentário aqui:
http://oreinoemnos.blogspot.com/2010/11/envelhecendo-em-um-minuto-eclesiastes.html
e vir até aqui, confesso: me impactou!! Tenho uma família parecida com a sua: Minha esposa Carolina, meus filhos: Henrique (6) e Ana (4) e são os amores da minha vida.
Sabe, viajo pelo Brasil todo (ossos do ofício) que diga-se de passagem me fez repensar no meu ofício. Fico muito longe deles e durante muito tempo.

Quero te dizer, e não conheço sua história, apenas deduzí o óbvio, que você está acrescentando aos seus filhos vida a cada dia.
E isso é fantástico.

Sempre que quiser e puder faça outra visita no O Reino em nós.

Abraços,

Sandro
http://oreinoemnos.blogspot.com/