terça-feira, 13 de setembro de 2011

Era uma vez 35 - Salve a seleção!!! (Diário da Mirys)

Sou louca por futebol!!!! Não contei isso, aqui, ainda? Mas sou! Maluquinha, maluquinha (ou, como diz um amigo meu, sou FANÁTICA!). Então imaginem que delícia quando eu percebi que a minha estadia de um ano em Paris iria coincidir com a Copa do Mundo de Futebol, que se realizaria... na França!!!!!!

Dei um jeito, arrumei uns adereços verde-e-amarelo, fiz pinturas na cara, coloquei bandeiras do Brasil pra todo lado e torcia mesmo! Muito!!!! Os gêmeos já tinham feito 08 anos (no dia 10.06.1998) e o menino não tinha qualquer ligação com futebol. Tenho a impressão de que NENHUM FRANCÊS TINHA QUALQUER LIGAÇÃO OU APREÇO POR FUTEBOL ANTES DA COPA DE 1998... Mas, podia ser só minha impressão...

Fato é que, em dia de jogo do Brasil, eu me arrumava, preparava as crianças, ligava a TV meia hora antes para acompanhar a escalação, grudava na tela e não saia por nada! Já levava um lanchinho pra todo mundo, na sala, que era pra não precisar sair mesmo. E gritava, e torcia, e (vergonha) xingava o juiz – tudo em francês!!! Kkk Assim, pelo menos, as crianças entenderiam como se torce, realmente, pelo seu país, quando o negócio é futebol! Afinal, eu era brasileira!!!!!! Pertencia ao melhor futebol do mundo!!!!

As crianças foram pegando gosto pela coisa de vários homens correndo atrás de uma bola, conforme a França foi avançando para os jogos finais. Oi???? A França???? Que expressão tinha o futebol francês naquele momento????? Até onde EU sabia, nenhuma expressão. Zero. “Zero negativo”, se possível. Para mim, aquele monte de gente nas ruas, assistindo aos jogos nos telões, era só por farra, porque eles nem entendiam o que estava acontecendo!!!!

Talvez quase todos os franceses não entendessem o que acontecia, mesmo... MENOS AQUELES QUE FORMAVAM A EQUIPE FRANCESA DE FUTEBOL. Sacolete... Os caras resolveram jogar! Na “hora errada” (pra mim, erradíssima)!!!!! E jogaram, e jogaram, e deram sorte (verdade seja dita) e chegaram na tão esperada final. Os franceses estavam no jogo final da Copa do Mundo!!! Era uma surpresa mundial!!! E contra quem? Nós, os brasileiros!!!!!

“Meu pai” de lá era apresentador de televisão (tipo um Gugu Liberato, com um programa diário e um de final de semana) e recebeu dois ingressos para ir pro campo, na ala vip, assistir à grande final! Ele levou o Pierre (filho – 8 anos) e a Julia (filha – 8 anos) ficou com a Anne (minha “mãe” de lá). Depois do jogo, quando a França, claro, se tornasse vice-campeã, o Philippe e a Anne tinham sido convidados a jantarem com os jogadores e outras pessoas da imprensa. E eu teria que trabalhar. Mas, tudo bem, né??? Trabalhar na casa de 4 franceses, vestida de brasileira, logo depois de ganhar a copa do mundo, não seria nada demais, né??? Eu estaria felicíssima e nem ligaria de passar a noite de comemorações com duas crianças!!! Até porque, o Fer chegaria no dia seguinte, na França, para “me buscar”!!!!!!

Felicidade geral da nação?????? Felicidade geral da nação, certamente!!!!

Mas o jogo começou e a França fez um gol. A FRANÇA FEZ UM GOL... a FRANÇA fez um gol. NO BRASIL!!!! Isso era inacreditável!!!! O Philippe ligou pra casa pra falar com a Anne. Ela pediu pra falar com o filho. Mas, o Pierre mal falou com ela e pediu pra falar... comigo! Não... aquele menininho de 8 anos, que quase tinha me feito desistir de toda a minha viagem por causa de um catchup, não queria tirar sarro da “tia/amiga” brasileira. “- Salut Miriane... você está bem?...” (hoje, anos depois, acho que aquilo foi o máximo da meiguice de uma criança!).

De repente, a França fez mais um gol. Isso era inacreditável demais!!! O ritual se repetiu: o Philippe ligou, falou com a Anne, que falou com o Pierre, que falou comigo. “- Salut Miriane... você está bem?... Aqui no campo está um pouco calor... você gosta de pipoca?...”. Mas a minha dor iria piorar e não tinha nada que aquele menininho de 8 anos pudesse fazer para resolver isso, a não ser entrar no meio do campo e atrapalhar completamente aquela partida até que alguém resolvesse anulá-la e recomeça-la num outro dia. Mas ele não entrou no campo... a partida não foi anulada... e a França fez mais um gol. ISSO ERA INACEITÁVEL!!!!! Já tinha passado de “inacreditável”, era inaceitável! Era uma falta de respeito! Era o fim do mundo! Era “uó”! Era... verdade... E, mais uma vez: Philippe – Anne – Pierre – eu. “- Salut Miriane...”. Tadinho. O Pierre não tinha mais nada pra me dizer a não ser “oi Miriane” porque ele sabia o quanto EU ligava pra tudo aquilo e como estaria chateada. Então, mesmo estando no campo na única vez em que a França conseguiu fazer esse milagre em dose tripla, ele não curtiu: ele ficou preocupado comigo. How adorable is that???

Então, aqueles que estavam no campo voltaram pra casa, os “meus pais” saíram para jantar com a equipe francesa de futebol, e eu fiquei com as crianças. Mas, naquele dia, eu não tinha clima para sessão cinema, para brincadeiras de rolar pelo chão, para leite quente e histórias de princesas todos amontoados na mesma cama. E aquelas duas pessoinhas de 8 anos entenderam isso. A Juju ficou na cama, quietinha, depois que eu a coloquei pra dormir (com leite, beijo, oração e coberta). Já o Pierre... teve leite, oração, coberta, beijo de boa noite... e “-Miriane?”. Eu já estava de pé e me abaixei pra ouvir melhor o que ele queria. Ele segurou dois punhadinhos dos meus cabelos, que foram pra frente, e ficou enrolando nos dedinhos, conversando fúteis, por loooongos minutos, até ter certeza de que eu estava bem, que eu não ia chorar, que ia ficar tranquila. Daí, ele me deu dois beijos estalados na bochecha, ele me disse boa noite, e dormiu. Com meus cabelos ainda enrolados nos dedinhos dele...

Eu fui pra sala mas não consegui assistir um filme (o que eu fazia toda santa vez que meus pais de lá saiam pra algum compromisso). Eu só chorei, chorei, chorei (sim... eu sou torcedora desse tanto de futebol!). Mas, o Fer chegaria no dia seguinte...

Cenas do próximo capítulo aqui.

4 comentários:

Rafaella disse...

Oh gente, que fofura da parte dele...
Como ele ficou preocupado com vc...
E que emoção einh, o Fr chegar no o utro dia...
Volta para contaaaaaaar...
Bjs

Ana disse...

Oi Mirys

Eu tb sou assim por futebol, choro, grito, xingo e torço, torço muito, entro na frente da Tv no melhor lance e claro todos me xingam...lá em casa, sou Sao Paulo, o marido Corinthians, entao imagina...imagino perfeitamente o que vc passou naquela Copa...

bjs querida.

Kinha disse...

O consolo de ver o Fer de novo valeria a pena!

Micha Descontrolada disse...

gente, q lindo o Pierre, me apaixonei pro ele exatamente agora!!!
ele tá um rapaz já, né? já fiquei imaginando ele com seus 21-22 anos...tem contato com ele ainda?

tb sou torcedora fanática e ao ler seu relato, cada minuto daquela triste final me passou pela cabeça...mas eu estava no Brasil (sempre estive..hehehe) e todos se sentiam igual...aidna bem q vc tinha o Pierre lá.

Beijosssssssssssssssss
┌──»ʍi૮ђα ツ