domingo, 11 de setembro de 2011

Era uma vez 33 - Inverno em Paris! (Diário da Mirys)

Tanto o Fer, quanto a minha irmã, tinham ido pra Paris ficar quinze dias comigo. Era só para passar o Natal. Não era muita coisa, mas, pra quem estava sem se ver desde o final de agosto, era um negócio da China!!!

Só que, para poder viver lá, eu trabalhava (era babá de um casal de gêmeos de 7 anos) e estudava, lembram? Pois é... Pra poder fazer a pós em direito, eu tive que negociar alguns horários com a minha família de lá e isso queria dizer “bye bye final de semana”! Não dava pra salvar tudo. E eu preferi ir e fazer o curso do que ficar no Brasil para “sabe-se lá quando” viajar pra outro país. Pelo menos, eu estudava, trabalhava, vivia em Paris. Vamos combinar?... Tá ÓTIMO, não tá, não???

O Fer chegou na França ainda mais magro do que quando eu o deixei, no Brasil. Ele sempre foi magrinho. Nunca teve muita tendência a engordar. Mas, dava pra ver no rosto (e no corpo) dele que aqueles últimos meses não tinham sido fáceis.

Daí (só daí) ele me confessou que “tinha muita raiva da França”. Raiva porque a França tinha “me roubado dele” (no raciocínio de um mocinho apaixonado de 23 anos). E que ele fingia, mas não conseguia curtir nada, nadica de nada, quando eu ligava pra São Paulo e contava pra ele tudo o que tinha visto, comido, vivido, experimentado. Ele não tava nem aí! Ele estava com raiva...

Mas, poucos dias em Paris bastaram para mudar RADICALMENTE a opinião dele. “Mirys, é mesmo cultural como você falou!”, “Mirys, as comidas são diferentes e pouco doces e deliciosas mesmo, como você falou!”, “Mirys, essa cidade é linda, exatamente como você falou!”. Porque Paris é assim: apaixonante!!! Pode ter barulho, pode ter trânsito caótico, pode ter alguns franceses emburrados (mas tem muito mais gente legal!), pode ter preços caros... mas, AINDA ASSIM, é uma cidade belíssima, que respira cultura, cheia de opções, com gente elegante pela rua, com cores, sabores, música por todo lado. É Paris...

Resumo da ópera: os 15 dias dos dois se prolongaram! A Mari (minha irmã) ficou por um mês e o Fer decidiu ficar um pouco mais (pra minha sorte), já que estava em férias das aulas, no Brasil. Ficou quase 2 meses...

Em duas semanas, ele já se dava ao luxo de corrigir meu sotaque de 5 meses morando lá!!! Aff! Como aquele “ouvido absoluto” me irritava, às vezes...

Nos finais de semana em que a minha irmã estava por lá, ele foi viajar com ela pela Inglaterra, Suiça e outras capitais que ela queria conhecer (ela não falava uma língua estrangeira, na época, lembram?). Mas, depois que ela voltou pra casa, os finais de semana eram só nossos. Então, tudo bem se eu trabalhasse até as 6 da tarde num sábado: a gente saia pra andar do lado do Sena (no maior frio da paróquia!!!), à noite, mesmo. E tomava um café. Dividia uma taça de vinho. Jogava uma partida de tênis em quadra pública. Ou via a tarde de domingo passar num parque qualquer.

Eu adorei dividir aquele pedaço da minha vida com ele! Toda a paixão que eu tinha por “chausson aux pommes” (um tipo de folheado de maçã), ele tinha por “pain au chocolate” (croissant de chocolate). Eu tomava vinho, ele preferia refri. Eu queria comer um panini (sanduiche prensado típico parisiense), ele escolhia McDonald´s (é... tem essa porcaria por lá, também! Fazer o que? Globalização, people! Rsrsrs). Mas a gente estava JUNTO!!!! Já pensaram???

Então... nós pensamos. Pensamos porque o tempo passou e o tempo dele em Paris chegou ao fim. Me lembro certinho de pensar, já no aeroporto, despedindo dele pela segunda vez, que eu nunca iria chorar tanto na vida!!! Ledo engano... Mas, naquela hora, eu não sabia do futuro e eu chorei os tubos! Chorei de dar vexame, chorei de passar mal. Choramos, na verdade. Mas, ele foi embora com uma promessa: voltaria pra me buscar, em julho.

Só que, até julho, muito tempo iria passar....

Cenas dos próximos capítulos aqui.

9 comentários:

Rafaella disse...

ai, ai, ai...
A cada final vc me deixa curiosa rsrs...
Esperando os proximos capitulos rs...
Imagino o quanto foi triste pra vc a despedida :(
Bjs

Kinha disse...

mAS O IMPORTANTE É QUE VALEU MUITO A PENA TUDO QUE VOCÊS VIVERAM JUNTOS. bEM SE VÊ QUE FORAM MUITO FELIZES E VOCÊ GANHOU OS DOIS MAIORES PRESENTES DA SUA VIDA, QUE NEM PRECISO DIZER QUE SÃO O gUIGO E A nINA, NÃO É?

Kinha disse...

eSSE MEU NOTEBOOK TÁ MALUCO, TROCANDO ALGUMAS LETRAS E FONTES, NÃO REPARE, SIM?

Anônimo disse...

Meu Deus, não vai demorar uma semana pra postar outro capítulo e deixar a gente morrendo de curiosidade...rs

Linda história de vcs.. o que importa é a qualidade do tempo vivido e o de vcs foi muito especial.

Adriana Engelmeyer disse...

Aiiii ....tô amandoooo.....não demora para postar.....kkkkk....bjus

Paula Decco Frederico Franco disse...

Pooooor favor, não demore muito até o próximo capítulo!!! Please!

Beijos,

Paula
www.comoagenteviramae.blogspot.com

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Mirys, estou conhecendo Paris às suas custas, né? Muito lindo tudo isso.
Beijos e bençãos.
Manô.

Debby disse...

myrissssss
Eu já não tenho mais unhas e c faz isso ??? Puxaaaaa
Mas estou amandoooo

Bjs
Debby:)

João Marcos disse...

Vou fazer "fusquinha" e mea culpa aqui: EU PARTICIPEI DE 5 DIAS DESSES NO RÉVEILLON!!!
A mea culpa é porque a gente (era uma galerinha...) roubou você do Fer esses dias que poderiam ser só seus. Bom, na verdade, a Mari tava lá tambem, mas você foi A MELHOR guia turística e intérprete que alguém poderia ter em Paris. Nunca teremos palavras pra te agradecer. Lembro até que o Fer, apesar de curtir pacas que a gente estava lá também, teve uma crise do tipo "E eu? Vim até aqui pra ficar dividindo você?
Miry's, aqueles dias com você, o Fer e a Mari (e mais 2 anexos indesejados (rsrs lembra?) vão me acompanhar todos os dias da minha vida. Assim como a sua carinha doce e "ton accent" quando devolvia pra alguém que tinha lhe dado uma informação: "Merci beaucoup et bon jounée!"
Sumi nos comentários mas "a gente estamos aí!"
Bises.
Johnny