segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Era uma vez 34 - Eu não quero mais ir embora daqui!!! (Diário da Mirys)

Aquela temporada de 6 semanas com o Fer e a minha irmã, em Paris, foi ótima! Foi mais do que ótima, na verdade!!! Pra quem estava esperando passar um ano inteiro sem se ver, quebrar o ano no meio foi perfeito! Ou deveria ter sido... Porque DEPOIS que eu vi Paris COM o Fer, eu não queria mais ver sozinha...

Aquele segundo semestre na França foi bem pior do que o primeiro! Não que a cidade não me impressionasse mais (impressiona até hoje), mas eu já estava “acostumada” a tanta beleza. Não que as novidades nos museus, parques, praças não me atraíssem mais, mas eu não tinha ninguém presente pra dividir tudo aquilo, de novo. Não que as comidas tivessem perdido o sabor, mas a vida tinha... Porque não tinha beijo de boa noite, não tinha passeio de mãos dadas, não tinha brigar pela bola na partida de tênis numa quadra pública! Não tinha companhia e isso fazia TODA A DIFERENÇA!

Só na faculdade as coisas andavam melhores. Eu terminei o curso obrigatório de francês (para poder ser babá e morar lá), na Universidade Católica, e fui aceita no nível mais alto do curso de francês da Sorbonne. Além disso, numa classe de 20 alunos estrangeiros, após fazer 8 provas finais (7 orais e 1 escrita imeeeeeeeensa), eu tinha sido a segunda melhor nota da sala (perdi para um russo lindíssimo). E fui convidada para ficar e fazer doutorado.

A proposta era muito interessante: meu mestrado lá só valeria como especialização, aqui no Brasil, por causa da diferença de sistemática do curso. Porém, o doutorado valeria da mesma forma, lá e aqui! Eu também tinha a opção de fazer o doutorado em Londres, num “combinado de faculdades públicas”, onde o Fer poderia fazer um curso também (ele dominava o inglês, lembram?). E seria muito mais interessante pra mim, profissionalmente falando, voltar para o Brasil com um doutorado que valeria como doutorado do que com um mestrado que valeria como especialização. Com 23 anos de idade eu achava que ainda tinha muito, mas muito tempo mesmo pela frente! E que não custaria nada gastar mais um aninho (ou 2), na Europa...

Além disso, a minha família já tinha me convidado para ficar com eles. Apesar da briga horrorosa pelo catchup, no primeiro mês, a gente se amava! Muito!!! Eu era, mesmo, parte da família!!! Até mãmí e o papí (vovó e vovô) me mimavam! Eu adorava os finais de semana, quando “meus pais de lá” viajavam e os avós vinham. Ela cozinhava MUITO!!! Ele tinha participado das grandes guerras mundiais e tinha histórias para contar que eu nunca ouviria em outros lugares! Era simplesmente sensacional!!!!

Se eu não ficasse com a minha família de lá, eu já tinha outros 2 convites de casas para ir. É que, algumas vezes, já que eu iria ficar em casa, cuidando dos gêmeos, eu me oferecia para ficar com os filhos dos casais que sairiam com os “meus pais”. Eu acho que eu devia fazer alguma coisa muito certa com crianças porque todas jantavam direitinho, não brigavam durante toda a noite, nos divertíamos a beça e nenhuma queria ir embora, quando os pais voltavam! Rsrsrsrs Então, 2 casais amigos dos “meus pais” já tinham me convidado pra ficar um ano com eles, SE eu não fosse ficar com a minha família, mesmo.

O final do semestre chegou, a dor de ficar sem o Fer já tinha amenizado um pouco, eu tinha mil convites para fazer mil coisas interessantes com a minha vida, e a Copa do Mundo da França começou!

Cenas dos próximos capítulos aqui.

10 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Mirys, ser ou não ser...
Beijos e bençãos.
Manô.

Rafaella disse...

E ai??? eai??? e ai???
Fez o doutorado???
Vc sempre me deixa curiosa rs...
Bjs

Debby disse...

De novooooooo
Estou amando, Myris sensacional

Bjs
Debby :)

Ju Louseiro disse...

Eu leio até devagar cada "era uma vez" dessa história de amor LINDA. Adoro, vc deveria escrever um livro Myris! hehe. Aguardando o proximo capítulo!


Um beijo =)
www.fuxicodenoiva.com.br
http://casamentodossonhos-juefe.blogspot.com
@fuxicodenoiva

Renata Marques disse...

Acompanhando a história com uma caneca de leite e uma torrada ao lado, muito bom!

Nana disse...

Oie por aqui....está muito legal acompanhar essas histórias suas... só estou sentindo falta de sua visita no meu cantinho, sister. Mal posso esperar pelas cenas dos próximos capítulos.
Bjs e fiquem c Deus.

Paula Decco Frederico Franco disse...

Nossa quantas dúvidas cruéis!!! Todas as opções ÓTIMAS!! Assim é ainda mais difícil escolher!!!!

E o que vc fez?rs Aguardando ansiosamente o "Era uma vez 35"!!

Mirys, se não for te incomodar, me passa seu email? É que eu queria saber onde é melhor se hospedar com crianças em Paris...

Meus emails são: pauladecco@hotmail.com ou pauladeccoff@gmail.com

Beijos,

Paula
www.comoagenteviramae.blogspot.com

Anônimo disse...

tenho lido, feito uma imersão, no seu blog..estou gostando muito, mas muito mesmo de tudo que tenho lido,me identifico como mãe, como filha, me identifico como sujeito da história e é nessa condição que me sinto reconfortada na minha humanidade partilhando tua história.
Mirys! ..admirys!
Salve!
odila
p.s. (e as crianças são a cereja do bolo)

Kinha disse...

nOSSA, UMA OPORTUNIDADE IMPERDÍVEL.

Claudia disse...

A tua história de vida é sensacional, mas claro tirando a parte em que seu amor parte. Beijos.