terça-feira, 21 de setembro de 2010

Aniversário da Nina (Diário da Mirys)


Ufa! Passou! Deu certo! E foi muito bom!

Estava preocupada com esse aniversário, pois teria que ficar atrás da mesa do bolo, sozinha, de novo. E a experiência, no aniversário do Guilherme, já tinha sido muito muito muito triste e difícil. Mal conseguia falar...

A sensação que eu tenho é de que todos os primeiros deste primeiro ano vão ser assim: tristes e difíceis. Sabe quando você tem um bebê ou quando começa a namorar, e você marca e comemora o 1o mês, o 2o mês, o 3o mês... até o 1o ano, e você registra o primeiro passinho, o primeiro beijo, o primeiro sorriso, a primeira cartinha de amor? Sabe quando tudo é muito grande e você vê tudo com lente de aumento??? Então, viuvez é isso... ao contrário...

Você vê tudo aumentado e marca cada 1o acontecimento, mas eles são difíceis demais...
A 1a noite sozinha, o 1o choro, o 1o filme sem ele, o 1o jantar by yourself, a 1a taça de vinho, a 1a dor do filho que você tem que resolver sem ajuda, o 1o aniversário dele, o 1o seu... o 1o Natal, o 1o ano novo... Tem vezes que eu não vejo a hora desse ano acabar! Foram-se os primeiros e, com ele, toda a minha tristeza sob a lente de aumento da minha saudade. Enquanto isso, vou vivendo os bons e maus "primeiros" que essa etapa me reserva, sem saber, às vezes, se eu poderia ou deveria estar tocando a vida assim ("é certo eu tomar um vinho novo, delicioso, sem ele???" "é certo eu viajar e conhecer algum lugar diferente, especial, sem ele???" "é certo eu curtir muito as primeiras letras que o Guigo escreveu quando ele não está aqui para sentir o orgulho de pai que, óbvio, sentiria???").

Nessa montanha russa emocional, até as coisas boas se tornam preocupantes, tipo aniversário de filho. Por um lado, você está felicíssima porque vocês chegaram até aqui! Seu filho está lá: lindo, saudável, educado, de bem com a vida, descobrindo o mundo. Você, uma heroína da resistência! Por outro lado, você não sabe (simplesmente, NÃO SABE) como suportou tudo até aqui... como fará se um dia seu filho pedir pelo pai... como reagirá se ele quiser saber algo tecnológico ou outra coisa do mundo masculino e disser "não quero você, quero o meu pai"... como dormirá mais uma noite sem um abraço confortável ou um beijo de boa noite de alguém com mais de 06 anos de idade... Não sabe...


Mas, desta vez, no aniversário da Nina, eu já sabia como seria ficar atrás da mesa do bolo sozinha. Sabia o que poderia falar e o que não poderia. Normalmente, eu chamaria os padrinhos e avós para trás da mesa para fazermos grandes fotos de família! Desta vez, deixei os avós reinarem absolutos e saí das fotos. Se não tem pai, não tem que ter mãe, também. Não preciso de um registro histórico dizendo "ela estava sozinha"... Normalmente, eu anunciaria os outros aniversariantes da semana e chamaria todo mundo pra trás da mesa, para cantarmos parabéns e agradecermos pela vida deles, também. Desta vez, não deu... Quem fazia os discursos era o Fer e eu não queria tomar conta dessa parte dele! Por isso, os primos e amigos aniversariantes ficaram sem qualquer menção aos seus nomes... perdão, pessoal!!! Confesso que orei por vocês, em particular...

Na festa da Nina, eu fui prática: apresentei a mocinha vestida de "Bela", fiz (do lado de cá da câmera) várias fotos dela com quem quisesse aparecer junto, chamei todas as crianças para trás da mesa para cantarem parabéns (e não ficar aquele "buraco"), pedi para o pastor "dela" (a Nina chama o Reverendo Célio de "meu pastor" e eu acho muito bonitinho ela já ter essa afinidade e reverência com ele) para fazer uma oração, paf-puf, cantamos parabéns e saí correndo de lá detrás. Pronto! Quem quer bolo???

Sei lá... mas acho que já estou preparada para os aniversários dos próximos anos... e peço a Deus para que eles tenham muuuuuuitoooooos outros aniversários. Os mais difíceis já foram!

Bjos e bençãos

3 comentários:

Mayla de Souza disse...

Oi Mirys! vc ñ me conhece, mas eu já conheço vc e sua familia linda! Amei o que você postou hoje, foi muito sincero e me emocionou muito! todos os dias eu passo aqui para ler um pouquinho de vcs e apesar de estar bem longe (Brasilia-DF)sempre oro por vc e seus filhos,para voces continuarem tão unidos e fofos...continue sendo tão forte e tão corajosa como vc é! um dia espero conhecer vocês! beijos!!

Mirys + Guigo + Nina disse...

Mayla: será um prazer conhecê-la, um dia! Tenho parentes em BSB e AMO essa cidade!!!

Continue passando por aqui e deixando seus comentários para nós! A-DO-RA-MOS quando sabemos que alguém está aí, do outro lado, lendo a gente!

Obrigado pelas orações!

Bjos e bençãos!

Maiyara Segalla disse...

Mirózinha do nosso coração... (vou ser rápida pq a lagrima fez o hidratante entrar dentro do olho e arder... quem me mandou passar antes de ler este post??? rsrs)

VOCE PODE E DEVE CONTINUAR! Acho que sua força vem da lembrança de como o Fer queria te ver... lembra da força para fazer chapinha no dia fatídico??? Nunca vou esquecer que te perguntei porque estava preocupada com o cabelo naquela hora (já que ninguem decente ia reparar nisso) e voce me respondeu "porque ele gostava de me ver arrumada"... acredito que o Fer gostava da Mirys forte... a mãe, amiga, irmã, filha 1001 utilidades... que sempre vê o lado bom da vida... que sempre supera obstáculos... que sempre está pronta a ajudar com o coração escancarado...
Por isso mesmo digo: voce pode e deve continuar a sentir e a viver coisas ruins e boas sem ele... simplemente porque era essa miriane que o Fer gostava! E continua a gostar... lá no céu...