domingo, 29 de julho de 2012

Interlúdio 18 - indecisão (Diário da Mirys)

Voltei da viagem com as energias recarregadas, cheia de pensamento positivo na cabeça, realmente disposta a me dar uma segunda chance. E uma terceira. E uma quarta. Quem sabe? Eu, que sempre fui de “relacionamentos”, de repente, estava com o maior medo de me envolver. Eu queria, sim, sair com alguém, encontrar alguém + conversar + beijar, mas me relacionar, assim, no sentido verdadeiro da palavra, eu dizia que eu não queria, não! Eu estava bem consciente e não ia esperar que alguém me ligasse no dia seguinte. Eu já me preparei pra não me frustrar.

Talvez eu tivesse o medo estúpido de que a próxima pessoa morresse, também. Ridículo, eu sei. Irracional, também. Mas eu pensei tantas e tantas coisas sem sentido pra maioria da população normal, enquanto atravessava essa fase de viuvez, que um pensamento maluco a mais, um a menos, não faria muita diferença. Talvez eu não estivesse preparada para envolver as crianças, a minha família, a família do Fer, com uma nova história. Talvez (certeza!) eu ainda me sentisse casada e pessoas casadas não namoram! Nem deveriam encontrar + conversar + beijar outras pessoas, também!!! Mas eu me sentiria “menos infiel” se não namorasse....

Por isso voltei disposta a mudar de ares, sair todo final de semana, ser observada, observar. Pessoas diferentes. Uma vida mais descompromissada. Mas, eu tinha minha listinha de exigências (que eu tinha passado até pra Deus, nas minhas orações, lembram?) e algumas das mais importantes eram:

• Que a nova pessoa não me conhecesse de antes, não conhecesse o Fer, não soubesse da minha história de vida. Já imaginaram como seria ir num barzinho, ouvir uma música, (eu) lembrar do Fer, pensar (“poxa... o Fer gostava/não gostava dessa música”) e ouvir a pessoa com quem eu saia falar “poxa... o Fer gostava/não gostava dessa música...”??? Não ia dar! Mesmo que a pessoa não falasse, eu tinha a impressão de que sempre iria achar que ela estava PENSANDO exatamente naquilo e não me falava por dó / ciúmes. Enfim, não me conhecer era pré-requisito;

• Que a nova pessoa não tivesse uma história de vida, também. Claro que, com 36 anos, eu não ia encontrar alguém que nuuuunca tivesse beijado, antes. Claro que não! Mas, eu podia achar alguém que não tivesse ex, filhos, fosse viúvo, nem nada forte e marcante assim. De “histórias tristes e pesadas” bastava a minha!

Naquela época, eu não podia ver o quão errada eu estava. E essas eram as minhas exigências! Por isso, quando voltei da viagem e, uma semana depois, tinha 5 pessoas querendo se encontrar comigo, eu me senti... frustrada! Porque todas, t-o-d-a-s elas eram pessoas amigas de ANTES. Todas conheciam o Fernando, tinham acompanhado minha história. Todas tinham suas próprias histórias de vida: fortes e marcantes e complicadas. E eu descartei qualquer possibilidade, logo de cara!

Eu achava que, agora, com a minha mudança de atitude, eu encontraria zilhões de caras por aí. Mas... eu sou muito boa na teoria e péssima na prática! Eu não saia nos finais de semanas (tenho várias desculpas, tá?), eu continuava vivendo em torno das crianças e das famílias, eu era a própria definição do Chico Buarque “todo dia ela faz tudo sempre igual”. Como, COMO eu esperava que uma pessoa nova fosse aparecer se eu só circulava onde já me conheciam??? Sou uma lástima...

E num sábado, fui trabalhar, com fotos, para uma família que eu amo. Festa ótima, gente amiga, "trabalho" que eu amo. E eu ainda podia comer, dançar e comemorar, entre uma foto e outra, pois eu também era convidada da festa. Mas, às 6hs da manhã, chegou a hora de ir embora.

Foi quando a única pessoa que eu não conhecia na festa (e, consequentemente, não me conhecia) veio falar comigo. Que eu era muito bacana. Que eu era simpática (ôh sina!). Que ele estava impressionado de conhecer uma menina que gostasse (e conhecesse) Beatles e Legião. Que ele tinha me olhado a noite inteira. E pediu pra me beijar... e eu disse um sonoro “NÃO”.

Nos milésimos de segundos seguintes, eu vi um filminho da minha vida passar por mim: me vi namorando o Fer, me vi casando, me vi fazendo planos de “pra sempre”, me vi sentada na beira da estrada no dia do acidente, me vi viúva e chorosa, me vi orando pedindo pra não ficar mais sozinha, me vi recebendo CINCO contatos de meninos diferentes, me vi falando pra Deus “ah, esses eu não quero porque eles já me conhecem...quero alguém diferente”, e me vi falando “não” pra pessoa “diferente” que estava bem ali, na minha frente. Eu me senti completamente ridícula, mas posso afirmar, com uns 98% de certeza, de que eu me virei pra ele e disse: “olha, volta... que eu mudei de ideia”. Talvez tenha dito... talvez não...

Mas ele voltou e ficou comigo, até umas 8hs da manhã. E eu voltei pra casa leve. Eu tinha beijado alguém. No Brasil. Em Jaú! Alguém tão dentro dos meus padrões (ou seja, fisicamente parecido com o Fernando), mas que desconhecia totalmente esse fato. Ou o Fer. Ou a minha história. Alguém pra quem eu era só uma garota que ele tinha acabado de conhecer e que podia ser que ele nunca mais visse...

Cenas do próximo capítulo aqui

10 comentários:

Tami Fonseca disse...

Ontem comemoramos no facebook o seu primeiro beijo...torço muito por sua felicidade viu.
Bjinhus

Fah disse...

Que história linda! Como já vi alguém comentar: 'Parece novela!'... E parece mesmo... Daquelas em que a gente torce pra caramba pela mocinha... E fica alegre pela felicidade dela! Daquelas que a gente fica super ansiosa para saber o próximo capítulo :D
Toda a felicidade do mundo pra você!

Adriana Engelmeyer Bouzan Lopes disse...

Ai querida....estou feliz por vc ter enxergado isso tudo sozinha.....vamos as novas descobertas.....feliz por vc!!!!!

Alice Mânica disse...

Ai, meu Deus!!! Essas reticências vão me matar de curiosidade!!!

Anônimo disse...

E tem próximos capítulos??? To louca pa saber/ ler!

beijos!
Vanessa - RS

Thais Markevich disse...

Mirys, estou super ansiosa !!! Fico entarndo no blog sempre que consigo!!!*-*

lili disse...

Conta pelo menos as cenas dos próximos capitulos

Rafaella disse...

Ai mulher, que confusão de sentimentos einh?!
Totalmente normal!!!
Doida para ler os proximos capitulos ;)
Bjão

Claudia disse...

Adorei, adorei... vc merece. Beijos.

Debby disse...

Aiiiii kd o alemão gente?????????
kkkk ai Jisus

Bjs
Debby :)