sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Eu confesso!... (Diario da Mirys)

Quando eu planejei essa viagem (quando organizei as coisas de verdade, sem o Fer, lá por outubro do ano passado), eu já sabia que poderia sofrer por vir pra Europa sem o Fe. Porque a gente tinha pensado em fazer essa aventura de outra forma... porque eu iria rever lugares onde estive com ele... porque eu ia querer dividir as coisas com ele e nao o teria por perto para compartilhar um vinho, uma impressao de uma comida nova, uma risada gostosa de filho, uma cama quentinha numa noite de 7o ou 6o graus, uma descoberta magica de um quadro pela Nina ou de uma rua europeia pelo Guigo. Mas, eu decidi vir mesmo assim. Vir por nós dois! Curtir por nós dois! Vibrar com as criancas por nós dois!

E nao sei se dei sorte por ter comecado por Barcelona (e nao por Paris), se dei sorte por ter companhia quase 100% do tempo por aqui, se dei sorte porque as criancas sao BARBARAS e me distraem a todo momento. Só sei que eu estava orgulhosérrima de mim mesma porque, até agora, eu estava aguentando muito bem.

Já tinha ouvido vinte mil vezes o Guilherme dizer que queria que o pápa estivesse aqui e aguentei o tranco. Já tinha visto a Helena dancar, no meio do metro, e depois me abracar falando "acho que o pápa ia gostar disso" e nao vacilei. Já tinha pensado nele um zilhao de vezes, imaginado o que ele acharia, se ele gostaria, se ele aprovaria, o que ele diria, como ele curtiria. Já tinha até falado com a lua, tres vezes, no meio da rua (devem achar que eu sou louca, por aqui...), como se fosse com ele. Mas nao fiquei triste.

Duas vezes só eu tinha me envolvido tanto comigo mesma e com meus pensamentos no Fer que a garganta apertou, o coracao pareceu parar de bater (de novo), a boca secou e os olhos quiseram molhar. Mas, mandei a lagrima de volta pelo caminho de vinda dela e "tchau tchau Juvenal" tristeza (como os pequenos dizem).

E hoje era o nosso ultimo dia na Espanha. So far, so good!
Fizemos planos de conhecer a Casa Museu de Salvador Dali, em Figueres. Quer dizer: os pequenos, minha irma e meu cunhado iriam conhecer; eu iria rever. Mas, tudo bem. Eu já tinha estado em vários lugares de Barcelona que antes tinha caminhado com o Fer. Fiz questao de comer calamares (a Helena adorou e eu vibrei!!!) só para lembrar dele. Andei nos mesmos metros, entrei nas mesmas igrejas. Quer as coisas continuassem iguais a 13 anos atrás, quer fossem completamente diferentes, a verdade é que eu nao ficava triste de pensar no Fer nesses lugares. E achei que, com Figueres, seria a mesma coisa.

Só que eu confesso que chorei...
Estava numa pracinha que eu nao tinha ido com o Fer. Pedi um almoco de tapas (para mim) e sanduiches (para o Guigo e a Nina) que nao pediria com ele. A B e o D tinham ido até o carro. E eu olhei para aquela pracinha tao tipica da Europa... as paredes da igreja de tijolos quase brancos... as criancas felizes demais alimentando os pombos... o dia lindo, com um sol gostoso de inverno... um silencio de paz tao grande... Estava tudo tao perfeito, tao harmonioso, tao tranquilo, que eu chorei. Desta vez, nao consegui conter... Senti uma falta TAO IMENSA DELE e me senti meio (totalmente) egoista por estar vivendo aquele momento perfeito e ele nao poder fazer o mesmo. Entao chorei.

Até agora, nao sei se foi choro de alegria ou de tristeza. De realizacao de um sonho (do jeitinho que a gente sonhou) ou de saudades. De completa ou de vazia. Acho que foi um pouco de tudo...

14 comentários:

Wagner Parronchi disse...

Difícil comentar. Confesso que fiquei por alguns minutos pensando, comento ou não comento. Mirys (se me permite), não tivemos muito contato, mas o pouco que conheci de você e do Fer foi o suficiente para ter certeza do amor que existia e era cultivado por vocês. Portanto, Mirys, sempre que for mais forte que você, chore e não tente descobrir se é de tristeza ou felicidade, apenas chore... Um grande abraço e Feliz 2011.

Tathy Freoli disse...

Que essas lagrimas sejam para regar a sua feh!

Esse tempo gelado VAI ACABAR e um novo sol vai brilhar. EU TO CHEGAAAAAAAANDO!!!!!

LV U - the 3 of U
T

Thais disse...

Myris, como é difícil ser mulher, sozinha, assumir todas as responsabilidades, todas as decisões,e mesmo assim ainda se sentir culpada!!!!!!!
pense nisso, querida!!!!
Um grande beijo, fique com Deus!!!

Anônimo disse...

Chorar as vezez é essencial.
De alegria ou de tristeza, não importa.
Você é muito forte.
Abraço

Débora disse...

Eu também chorei!
É só! Só isso que quero dizer!

Anônimo disse...

Eu queria te dizer as palavras mais belas e confortantes, mas. nada que eu diga vai mudar. Assim, depois de ler e reler esse post, decidi apenas de escrever:

"O senhor é o meu pastor; nada me faltará"

E tenho certeza que nada faltará mesmo, não faltará: paz, amor, felicidades e saúde.

E, você é a mulher mais forte que eu conheci até hoje.

Que em 2011 a sua força de vontade seja triplicada.

Felicidades...

Beijos,
Misla.

Anônimo disse...

"O Senhor é quem vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te atemorizes". (Deut. 31:8)
“Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.” (Josué 1:9).
“Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel.” (Isaías 41:10).

Diante de tanta palavra boa, só nos resta sentir o vento no rosto, ouvir seu som tremulando as velas, e descansar os olhos na paisagem que se aproxima...

Com amor, tiaMIGa

Alma Cigana disse...

Agora estamos aguardando noticias de Paris ........queremos ver fotos de Paris com vocês...........!!!!!beijos com saudades....
Ah......estou sabendo que recebi muitas orações , principalmente do meu amigo secreto......fiquei extremamente feliz.......muito obrigada.....beijos com carinho

Thays disse...

Oi
Preciso te dizer que sei como é isso!
Sei como é sentir uma falta imensa, a qual desejaria não sentir, porque isso significaria ter a pessoa amada aqui.
Me deu um nó na garganta ler sua história, suas palavras de amor.
E chorei, chorei pela minha dor, chorei pela sua (se me permite).
Verdade é que a saudade faz morada no coração de quem ama e não pode ter a pessoa amada ao alcance dos olhos, dos braços, dos abraços.
Aproveite a viagem!
Um grande beijo e muito obrigada
Thays

Débora disse...

Mirys!!!
Cadê você?!?!

Nota Legal - Maximize seus Créditos ! disse...

conheci seu blog através de um amigo que está passando por um momento difícil como o seu. Viúvo com dois filhinhos... e estou adorando ler suas reflexões. Tb tenho dois filhos e amom de paixão o dia a dia com eles. Agradeço sempre a Deus por ter-los em minha vida!!!!!! Parabens pelo blog.
bjs
Anne

Carol Siqueira disse...

Mirys! Quando li este seu texto eu fiquei tentando me imaginar na sua situação. Vendo aqui o meu marido agora ao meu lado, assistindo um filme e eu aqui no computador, senti uma dor no meu peito porque vc relatou exatamente a dor e a alegria em que viveu. Só mesmo Deus para preencher o vazio mesmo vc não acreditando que isso pode um dia acontecer. Mas a sua viagem com os seus filhos foi maravilhosa, pude ver nos rostinhos de vocês a felicidade de estarem vivendo juntos tudo isso. Parabéns pela sua força e coragem.
Abraços de Carol Siqueira.
www.falamamae.com

Camila disse...

Prima, tentei falar com vc ontem e não consegui... Sabe que estamos te esperando, e que estamos por perto, né? Bjo em vc e nas crianças.
Ca

lu disse...

sempre que leio o que escrevo choro , sempre me preparo antes, de saudade dos velhos tempos e por nao poder tirar essa dor do seu peito
te amo amiga